Entenda o real significado da LGPD para a sua empresa, sem juridiquês!

Separamos essa sequência de artigos que servem como um curso rápido e 100% gratuito! Se você ler todos os artigos na ordem que separamos pra você, será como um curso, ou um e-book.

Quem é você pra me falar de LGPD?

Antes de tudo, seja muito bem-vindo!

Após vários anos à frente de iniciativas de trabalho e estudos sobre dados, marketing e privacidade na internet é preciso fazer uma confissão. Nós sinceramente já vimos de tudo. Estamos neste mercado desde o nascimento dos conceitos de análise preditiva, e todas as Adtechs que surgiram desde então, até a ascensão e queda da Cambridge Analytica e seus escândalos e vazamentos, inúmeras análises e documentários, Wikileaks, Snowden, etc.

Logicamente, acompanhamos todo o mercado com o surgimento da GDPR e suas derivações ao redor do globo, que hoje – aqui no Brasil, culminam com a LGPD. Há quase 7 anos estamos trabalhando diariamente com vários dos pilares que hoje o mercado de “Marketing por dados” está tão familiarizado.

– A construção de modelos de dados para análise de métricas de performance,

– Bancos de dados sequenciais, não relacionais, físico, em nuvem e tantos outros que já passaram por nossas mãos.

– Inúmeras características de tags de rastreio, fingerprints, SDKs, etc.

– Infinitas atualizações de tecnologia, privacidade, boatos e navegadores com seus bloqueios de cookies de terceiros.

– Diversas integrações com Adservers, CRMs, ferramentas de e-mail, DSPs, Cookie Syncs com DMPs, Data Providers, Bureaus de Crédito, etc.

– Firewalls, Backdoors, Rotinas de Segurança, DNS,  etc.

Enfim, são mais de 200M de usuários únicos mapeados em nossos sistemas, e 40 mil sites já passaram por nossa rede desde 2015, quando criamos a nossa primeira versão de Tag e Cookie.

Tudo isso para te dizer que, todo esse conhecimento que acumulamos até hoje só nos dão uma certeza. De nada vale saber tudo isso, se:

1 – Não executamos com prontidão as melhores práticas de trabalho e segurança,

2 – Não conseguimos traduzir as “teorias internacionais” para nossas legislações e realidades do mercado local.

3 – Se não desmistificarmos a necessidade de recursos infinitos, e extremamente elaborados, para começarmos um bom trabalho.

4 – Se a teoria não gerar um ganho real para os clientes, e consequentemente vendas para os dois lados.

Durante o ano de 2019 entrevistamos quase 250 empresas sobre o significado da LGPD e seus impactos e percepções no desafio da adequação, e a maioria das dificuldades listadas há época foram:

A dificuldade de compreensão da lei, falta de mão de obra capacitada, dificuldades com o manejo de novas tecnologias e, não menos importante, a administração e coleta dos consentimento dos titulares.

Desde então tínhamos o mesmo o sentimento, a LGPD permanece uma incógnita para a maioria, e ao mesmo tempo nós – que somos parte viva do mercado, temos em nossas mãos a oportunidade de reforçar o quanto a Privacidade pode e deve ser levada a sério. Não sendo valorizada apenas quando perdida, mas – em suma, como um direito individual de todos os cidadãos.

Quanto mais hoje em dia onde é impossível ignorar o elefante na sala, ou melhor, o número crescente de celulares e dispositivos coletando dados de texto, áudio e vídeo em praticamente todos os lares.

O fato é, todas as legislações de privacidade vieram pra ficar! Sim, estamos em um caminho sem volta no que se refere ao uso de dados pelas nossos gadgets favoritos. Com isso, é essencial que saibamos o valor da Privacidade enquanto ainda – teoricamente, temos o controle. Mas, principalmente que tenhamos acesso a tecnologias que trabalhem ao nosso favor, não apenas coletando os dados mas, nos dando a liberdade em frente às inúmeras ocasiões de coleta, que enfrentamos diariamente. Sim, antes da coleta há uma escolha de um cidadão livre, que deve ser respeitada e informada de maneira clara e transparente.

Será esse o significado da LGPD?

Assim, exatamente neste acumulado de dados, serviços, dúvidas e testes infinitos das tecnologias, nasceu a AdOpt.

São anos de estudo e aplicações práticas, que tem como objetivo minimizar as consequências que o mercado de marketing e publicidade sofreram. Não só quando a GDPR entrou em vigor na Europa e derrubou drasticamente a receita dos grandes publishers, mas, também pelo amadurecimento do nosso mercado local – Brasileiro, frente as inúmeras tecnologias que sequer conseguimos testar, graças aos nossos budgets tupiniquins.

A AdOpt, começa como uma maneira rápida e prática com que todas as empresas possam comunicar e coletar o consentimento dos seus visitantes sem correrem o risco de destruírem suas métricas e engajamento com mais um aviso feio, que mais parece um Pay Wall, ou diríamos – Privacy Wall?

Em todo o roadmap da AdOpt e sua evolução como produto, temos por objetivo também democratizar o acesso a informação a respeito da legislação e suas aplicações em si de modo que respeitemos a privacidade de todos! Novamente, o contexto que a AdOpt nasce, faz dela impossível de ser ignorada, tamanha a sua importância nos dias de hoje.

De um ponto de vista comercial, chegamos à conclusão que o mercado carece de alguns posicionamentos de fácil compreensão e, acima de tudo, desmistificando os interesses de algumas classes do mercado, no que tange à nova Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais, a LGPD. É certo que advogados, contadores, profissionais de TI e diversos outros “experts” estão ávidos para abocanhar seu pedaço no mercado. O que é perfeitamente compreensível, pois, a lei abarca conhecimentos de diversas áreas simultaneamente. Contudo, antes de qualquer vantagem de mercado ou de classe de trabalhadores, nós da AdOpt acreditamos que existem 2 princípios que devem sempre reger a nossa interpretação disto tudo, à luz da privacidade; exaltada pelas inúmeras legislações de privacidade ao redor do mundo.

1 – Um princípio de liberdade.

Sim, a liberdade é de um valor imensurável e só quem a perde é capaz de realmente descrever o impacto de sua ausência. Seja no acesso à informação, no direito de ir e vir, na liberdade de imprensa ou no simples direito ao esquecimento. Somos a geração que criou os memes, mas também o “cancelamento”, a crítica ferrenha às Fake News, o banimento de algumas redes sociais, entre outras. Pautados em premissas de valorização da verdade, algumas vezes esquecemos de mensurar o real impacto de alguns mecanismos unilaterais que acabam ofuscando real o valor da liberdade.

A LGPD é também um mecanismo que ajuda o cidadão na manutenção de sua liberdade, diante dos gigantes da internet. (será esse o significado da LGPD?)

2 – Sem produtores de conteúdo, não teríamos a internet.

Quando isso (a internet) era tudo mato e tínhamos meia dúzia de blogs e portais de notícias, a LGPD jamais faria sentido. Porém,  foram graças a essas âncoras da internet que criou-se a oportunidade de monetizar a atenção das pessoas em determinadas páginas! Sem os grandes publishers não teríamos a mídia programática e todas as oportunidades de automatizar o fluxo monetário gerado hoje globalmente, na escala e proporção que vivemos.

Sem a mídia programática não teríamos as redes sociais como as conhecemos hoje. Afinal, como diria o Mr. Zuckemberg. “We Run Ads”.

Talvez essa introdução tenha um ar de “Manifesto” para você, quando exaltamos tanto o valor da Privacidade e da Liberdade, expressas no livre acesso a informação e consequentemente na produção de conteúdo.

Aqui vai mais uma confissão para você, caro leitor.

A AdOpt hoje, tem a função de aviso de cookies, ajudando como uma CMP (Consent Management Plataform). Mas, você não faz ideia do que virá pela frente quando ligarmos todos esses pontos acima e te dermos acesso às tecnologias que estamos desenhando!

Se os dados são o novo petróleo, a privacidade será a nova moeda!

Próximo Capítulo: Entenda o que são as Bases Legais da LGPD.

Show Full Content

About Author View Posts

João Bruno
João Bruno

Co-Founder, DPO e COO da AdOpt.

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back
Close
Close